Pular para o conteúdo principal

[ Não vim falar de amor ]

Escrever sempre foi uma forma bonita de conviver com meus próprios medos e por ter medo de deixar o passado ir, sempre me agarrei a escrever sobre ele, ele era o meu medo maior.

Quando ele se foi pela última ou primeira vez eu chorei por horas, porque todas as cartas que tinha escrito pra ele e todos os desejos inconfessáveis guardados para ele, à partir daquele momento, deixariam de existir em mim, porque o passado para mim não era uma roupa que não me servia mais.

O passado era uma dor que eu vestia e me agarrava para dar maior brilho e significado as alegrias do presente, o passado era uma conveniência que me fazia enfeitar os dias atuais...

E eu também gostava da ideia de que no meu passado chovia e me assustava com o meu presente árido de flores murchas.

Abandonar a escrita era a minha forma de abandonar o passado porque é impossível escrever de presente, quando escrevo agora, já passou. Já o passado não, o passado a gente pode eternizar, ele não se esvai como o agora, e de tão bonito que ele é, é que me agarro a ele novamente para escrever para um futuro, para escrever sobre o tempo que eu voltei atrás de mim mesma e não por querer auto-conhecimento.

O querer de agora é só o de fazer chover em outra terra que não seja fronha da minha cama que já não aguenta mais tanta água sem florescer.

Deixo o passado então sangrar e te convido pra colher os girassóis!

Bem-vindo ao novo randômicas, se prepare para me ver revirar o passado (de novo)!

Fonte: http://thebrightnessofbeing.typepad.com



Comentários

  1. "O querer de agora é só o de fazer chover em outra terra que não seja fronha da minha cama que já não aguenta mais tanta água sem florescer."

    O gênero de associação que sempre me lembrou você pela beleza sutil impressa. Amo você e tuas palavras, amo teu retorno e tua permanência. <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"Fala de amor bonito e aponta o erro alheio"

Eu deveria estar fazendo o planejamento da semana, porém, estou em um daqueles momentos de introspecção em que quero mudar o mundo e nada seria mais emergencial do que falar a verdade sobre a Mayla, isso ou o que fala o meu perfil no facebook com uma frase do Freud que diz:


Por trás dos motivos confessos de nossas ações sem dúvida existem razões secretas que não confessamos
Eu acredito fortemente que tudo está muito interligado, tipo, outro dia eu odiava o Jim Carrey, achava os papéis dele bobo demais e achava que ele chamava muita atenção, logo eu.

Comentei isso com o Pedro e ele me apresentou alguns papéis que não passavam na sessão da tarde e somado a isso, descobri coisas incríveis sobre ele, recentemente assisti ao documentário dele que está na Netflix e fiquei encantadíssima, em um dos momentos mais marcantes para mim, ele fala do eu ator e não consigo parar de pensar nisso, no quanto a gente tira férias de quem a gente é para ser um bom filho, um bom pai, um bom amigo, um bom prof…

[ teimosia ]

Eu não gostei dela, pra falar a verdade eu não me apaixonei por ela, nem por suas manias ou o seu jeito tímido de sorrir e falar qualquer coisa, eu não me apaixonei por ela, nem pelo jeito dela segurar a minha mão, nem da forma que ela bancava a boba comigo, não, eu não gostei do cigarro dela, nem da mania dela de ficar sem graça com qualquer coisa, eu não me apaixonei pelas tatuagens dela ou pelo jeito dela se vestir, nem da mochila dela eu gostava, eu não gostava das suas histórias, nem dos seus atrasos e nem gostava do passado dela, não gostava das suas loucuras, dos seus medos, em nada eu gostava dela, exceto de toda essa mentira acima e do quanto me dói ter que juntar os cacos quando o medo atravessa a sala como uma pedra que destrói a porta do banco bradesco quando todo mundo grita fora temer.

É que eu não gostava dela, mas não gosto mesmo é de quem finge não gostar dela só por medo de ser amada como quem ama inteiro.

"Eu gosto dele, ele é legal" (Agnes)

1. Não existe meio termo, ou você vai amá-lo ou vai odiá-lo 2. Se você tiver sorte, ele vai te amar de volta


“Lealdade é uma via de mão dupla. Se eu estou pedindo isso a você, então você está recebendo isso de mim.” – Harvey Specter 3. Ele é o cara mais otimista do mundo 4. Mesmo quando o assunto é política 5. Ele é o irmão mais novo que você gostaria de ter 6. Ou o irmão mais velho que você gostaria de ter 7. Ele parece o riquinho 8. Parece o Gru do meu malvado favorito 9. Parece um super herói 10. Ou o psicologo do Cléo 11. Ou um ser humano mesmo 12. Ele parece que tem a resolução pra tudo 13. É um líder nato 14. É um puta amigo 15. Um puta profissional 16. E por mais clichê que isso soe, o nome dele vira elogio 17. Ele faz os vídeos mais incríveis 18. E é o dono da risada mais contagiante que eu conheço 19. Ele é o namorado 20. O pai adotivo 21. O cara que parece irresponsável 22. Mas que é reconhecido como O RESPONSÁVEL 23. O menino 24. O homem 25. O santo 26. O ateu 27. O cara de fone de ouvido 28. Todo eng…